Angela Natel On quinta-feira, 25 de agosto de 2016 At 06:22
Hermes C. Fernandes: Combatendo a raiz do desespero humano: "Aventurar-se causa ansiedade, mas deixar de arriscar-se é perder a si mesmo.  E aventurar-se no sentido mais elevado é preci...
Angela Natel On sexta-feira, 19 de agosto de 2016 At 05:29
Não se torne um missionário…
…se você acha que vai mudar o mundo.
Em primeiro lugar, ter uma expectativa muito alta de que você pode mudar o mundo acaba sempre te decepcionando. Além disso, é preciso considerar se o seu desejo de mudar o mundo não está se confundindo com o desejo de servir. Um bom teste é: pergunte-se se gostaria de mudar para um país totalmente diferente do seu, em um ambiente bem mais difícil, para apoiar um morador local. Você não seria reconhecido por isso e não teria garantia de ver frutos nesse processo.
Se, sinceramente, sua resposta for “Sim”, então você talvez esteja no caminho. (Não se preocupe, a maioria de nós também achou que responderia “sim”, mas a verdade é que ainda havia muito do “complexo de herói” a ser tratado).
…para se tornar uma pessoa melhor.
Havia um missionário na Jamaica, Craig, que pregava a todo mundo: ao cara rastafari que fumava maconha, aos turistas nas lojinhas de souvenir, ao cara da caixa-registradora… Perguntaram a um amigo dele o que ele havia feito para se tornar um evangelizador tão bom assim. “O Craig? Ah não, ele sempre foi assim. Ele não veio para a Jamaica e se tornou esse cara. Ele já era assim no país dele”.
O Craig desmistifica a história de que, quando você se muda para o exterior, você se torna um super-cristão pregador. O que você é aqui e hoje, você será lá e amanhã.��É claro que uma mudança de ambiente ajuda em certos aspectos, mas isso não significa que de repente você passará de um cristão morno para uma mistura de Apóstolo-Paulo-Com-Madre-Teresa-De-Calcutá apenas porque, de repente, você foi para outro país.
…se você acha que você tem as respostas e os locais não.
Nós, ocidentais, temos calçados estranhos. Na maioria das vezes somos escandalosos e ofendemos com nossa arrogância. Estamos acostumados a olhar para outras culturas e dizer às pessoas como consertá-las, investindo dinheiro em seus ‘problemas’. Todo bom missionário, primeiro ouve. E ouve muito. E ouve de novo. (Não se preocupe. Novamente, é outra coisa que todos precisamos aprender).��…se você não consegue lidar com transições.
Um missionário conta que está vivendo fora de seu país há menos de 2 anos e já se mudou de casa 3 vezes, fez duas longas e grandes viagens, além de ter se aproximado para depois dizer adeus a mais de 15 famílias amadas.��No campo missionário, pessoas vêm e vão. Condições e cláusulas são alteradas, e governos mudam leis sobre vistos. Você descobre que a casa que queria já foi alugada ou que a casa na qual está morando tem ratos. Quando você aceita fazer missões, querendo ou não, percebendo ou não, você está aceitando viver uma vida transitória e cheia de mudanças.
…se você se considera uma pessoa incrível, espiritualmente falando.
Não há maneira melhor de mostrar tudo o que tem de pior dentro do seu coração do que mudar para um país diferente. Sério. Um missionário conta que não xingou mais, chorou mais, ficou mais irritado, teve crise de fé e, de forma geral, se tornou uma pessoa pior, do que nos 2 anos que ficou servindo na Ásia. Pode chamar de “choque cultural”, mas há quem diga que o estresse vivido no exterior empurra para fora todo o lixo convenientemente acumulado durante anos em nossa vida confortável.
…se você acha que viver de oferta é fácil.
Pode parecer, mas definitivamente não é fácil viver mensalmente segurando a respiração e orando para que caia aquele valor cheio do aluguel, sabendo que até esse valor depende da bondade e generosidade de pais, parentes, amigos ou aquela senhora que junta as moedinhas para poder ofertar na sua vida.��E quando sobra um pouquinho de dinheiro? Aí você fica apreensivo pensando em como gastá-lo. “Será que eu posso me dar ao luxo de tomar um capuccino? Será que as crianças realmente precisam ir no parque amanhã? Compro aquela scooter mais confiável –e mais cara –, ou aquela que, “provavelmente”, será OK
Então, o momento de frio na barriga, aquele momento de falar sobre finanças e pedir apoio financeiro pela primeira vez, sentindo que você está importunando sempre as mesmas pessoas, que acabam sendo as únicas pessoas que você conhece — como a vendedora de produtos de cosméticos que fica tentando empurrá-los nos churrascos da família.
Com certeza, tudo isso acaba construindo e moldando sua fé, mas acaba sendo algo que acaba com seu coração, sua finanças, sua auto-estima, sua poupança, seus relacionamentos, seu orçamento, sua diversão e sua liberdade.
…se você não está disposto a mudar.
Flexibilidade é uma das coisas mais importantes ao se mudar para um país estrangeiro. Humildade também. Infelizmente, muitas vezes, essas qualidades não são naturais. No entanto, é possível aprender que quanto mais a gente se apega a um plano e a segui-lo — seja pelo ministério, pela situação de vida, uma amizade, pela organização ou crescimento pessoal — mais dolorido é quando os planos mudam (e eles certamente vão mudar). Aqueles que humildemente conseguem viver de forma mais ‘solta’ são os que conseguem ir mais longe com menos danos colaterais.
…em uma decisão impulsiva, de última hora.
Mudar para uma país do outro lado do mundo, especialmente com uma família e com o compromisso de ficar, não é algo para ser decidido assim, de repente, num impulso. Treinamento é importante. Preparo espiritual, emocional e cultural têm um valor inestimável. Ter um coração voltado a morar em um novo lugar também leva seu tempo para ter raízes completamente aprofundadas.
Então, espere um pouco. Não se preocupe em puxar o freio um pouco e, por favor, não ache que você é mais santo se decidir ir, fizer as malas e partir o mais rápido possível. Isso não são as Olimpíadas e ir para missões de qualquer jeito pode trazer mais estragos do que benefícios.
…para melhorar seu casamento ou educar seus filhos.
Problemas pessoais e familiares vão te acompanhar onde você for. Pior: na maioria das vezes, problemas não resolvidos tendem a aumentar e se tornar piores ainda quando você vai morar em um país diferente do seu. Achar que os problemas ficarão para trás é um dos erros mais comuns, e muitos missionários acabam se vendo em uma situação com problemas maiores ainda sem saber como lidar com eles.
…para impressionar ou ganhar amigos.
É bem provável que, ao se tornar missionário, você conheça pessoas incríveis. Muitas delas provavelmente se tornarão grandes amigos. Porém, existe gente estranha e esquisita em todos os lugares. Viver em um lugar afastado e diferente constrói caráter, te molda em muitos aspectos, mas certamente trará boas surpresas na hora de fazer amigos.
*Texto original: 10 Reasons Not To Become a Missionary

fonte: https://www.facebook.com/paulofelipe.dapenha/posts/1424190657596159

autora: – Revised and Extended from LauraParkerBlog‘s original list, posted Jan 2012
Laura Parker, former missionary in SE Asia. Twitter: @LauraParkerBlog Ministry: The Exodus Road
http://www.alifeoverseas.com/10-reasons-not-to-become-a-mi…/
Angela Natel On domingo, 7 de agosto de 2016 At 06:56
Angela Natel On sábado, 30 de julho de 2016 At 07:41
Hermes C. Fernandes: A vergonhosa falácia da "Ideologia de Gêneros": Por Hermes C. Fernandes Sempre que me deparo com um tema que esteja sendo execrado pela bancada evangélica, trato de colocar a barba ...
Angela Natel On quinta-feira, 28 de julho de 2016 At 04:56
Hermes C. Fernandes: Aprenda com Deus a liquidar de vez os seus inimigo...: Por Hermes C. Fernandes Quem não gostaria de livrar-se de vez dos seus inimigos? Pois para espanto de muitos, a receita pra isso po...
Angela Natel On domingo, 24 de julho de 2016 At 05:24
Angela Natel On sábado, 23 de julho de 2016 At 07:20

Chegaram os primeiros exemplares do livro: "Teologia da Reforma", de Angela Natel, pela Editora Intersaberes!

Ao realizarmos uma análise diacrônica dos processos responsáveis pelo desenvolvimento da teologia que deu base à Reforma Protestante, lançamos um desafio de reflexão acerca desse movimento e seus 500 anos.
Nesse sentido, objetivamos compreender as condições que, atualmente, no Brasil, circundam aIgreja Cristã - exercício fundamental para pensarmos a necessidade de novos caminhos e novas posturas em nosso próprio comportamento.
Sendo assim, não se trata de estabelecer quais espiritualidades devem ser consideradas relevantes, mas de provocar um olhar crítico e honesto para nós mesmos e nossas práticas cotidianas.

Você pode adquirir seu exemplar diretamente pelo e-mail 
atendimento@livrariaintersaberes.com.br
Entrega para todo o Brasil!




Angela Natel On sexta-feira, 15 de julho de 2016 At 03:11
jesus, o maior feminista que já existiu: Negar a igualdade de direitos das mulheres é negar o nosso amor a elas. É não cumprir o que Jesus disse ao tratá-las como gostaríamos de ser tratados.
Angela Natel On quarta-feira, 13 de julho de 2016 At 06:19
Hermes C. Fernandes: Teste de DNA - Quem é o pai do ROCK, afinal?: Por Hermes C. Fernandes Hoje se comemora o Dia Mundial do Rock, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como uma homenag...
Angela Natel On terça-feira, 12 de julho de 2016 At 07:15
Hermes C. Fernandes: A melhor maneira de descobrir um cristão fake: Por Hermes C. Fernandes Tempos atrás, assisti a uma entrevista de um blogueiro que criou uma personagem fake , com o objetivo ...

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.