Angela Natel On domingo, 6 de setembro de 2009 At 06:38

A. O diabo não tem favoritos

Lê João 10:10

1. O diabo trabalha exactamente de maneira oposta à do Senhor Jesus Cristo.

2. Os demónios são como o seu mestre, Satanás. Seguem o mesmo padrão. Também odeiam os seres humanos e desejam destruir-nos e desviar-nos do nosso Salvador.

B. Os demónios procuram uma porta por onde entrar

Lê 1ª Pedro 5:8

1. O diabo e os seus demónios estão sempre à procura de alguém a quem possam devorar.

2. A menos que lhes abramos as portas, os demónios não podem entrar nos nossos corpos.

C. Portas que estão abertas aos demónios

1. Os pecados dos nossos antepassados.

Lê Êxodo 20:3-6.

a) As iniquidades dos pais passam para os filhos até à terceira e quarta geração.

b) Problemas especificos que passam de uma geração até à próxima:

1) Certas doenças como câncer e artrite

2) Doenças mentais como epilepsia, irritação, fobias, insanidade e alcoolismo;

3) Problemas físicos como ser coxo ou aleijado.

c) Se os nossos antepassados estiveram envolvidos com o oculto, assim como feitiçaria e religiões falsas, ou em pecados habituais como adultério, sexo fora do casamento e divórcio, então Deus passa estas iniquidades aos seus filhos.

d) Esta transmissão de iniquidades dá direitos legais aos demónios para possuir-nos desde quando somos concebidos no ventre das nossas mães.

e) Eles permanecem até ao tempo certo para se manifestarem, p. ex. em divórcio, suicídio, aborto, homossexualismo etc.

2. Maldicões sobre as nossas famílias ou sobre nós.

Lê Deuteronómio 28:2,15

a) Deus se refere claramente às bençãos e maldições. Ele revela a seriedade das bençãos no capítulo 28 se o obedecermos e as terríveis maldições se lhe desobedecermos.

b) Somente 14 versículos falam de bençãos e 54 falam de maldições.

c) Pode ter sido posta uma maldição na tua família numa geração anterior por:

1) Deus, se as pessoas adoraram ídolos.

2) Por outra pessoa sobre os teus antepassados, por causa de algum desacordo

3) Por causa de alguma coisa que fizeste ou falaste sobre ti mesmo durante o tempo da tua vida.

d) Parece ser algo que não podes explicar com lógica mas controla-te a ti e a tua família. Isto bem pode ser uma actividade demoníaca trazida por uma maldição.

Lê Génesis 31:32.

a) Jacó era uma autoridade e pôs sem se aperceber uma maldição na sua esposa Raquel.

b) Vemos em Génesis 35:16-19 que pouco tempo depois deste incidente Raquel morreu ao dar à luz o seu filho Benjamim.

c) Notemos que:

1) Uma pessoa pode lançar uma maldição nas nossas vidas, principalmente se ele/ela está em autoridade.

2) A própria Raquel estava envolvida com idolos, facto que Deus na Sua Palavra avisou claramente que traria maldição sobre essa pessoa.

3. Oculto

Lê Deuterónomio 18:9-14

a) Quando nos envolvemos em qualquer espécie de práctica do oculto, estamos a abrir uma porta para demónios.

b) Em Deuteronómio 7:25,26 vemos que Deus ordena que queimemos todos os artigos associados com idolatria, feitiçaria ou bruxaria. Nem sequer devemos vender estes artigos de bruxaria mas destrui-los completamente.

c) Qualquer imagem gravada, máscaras, livros do ocultismo, figuras, adornos ou objecto de feitiçaria estão incluídos na categoria acima mencionados e devem ser destruídos, pois estes artigos todos dão direito legal para a actividade demoníaca na vida de uma pessoa.

4. Religião falsa

Lê 2ª Coríntios 11:3,4

a) Devemos ter cuidado para não ser seduzidos ou enganados por aqueles que pregam outro Salvador.

b) Muitas religiões usam a Biblia, falam no nome de Jesus ou Jeová, e mesmo assim não é o mesmo Deus que adoramos e não interpretam correctamente a Biblia.

c) Eles pregam um outro evangelho, diferente do nosso o que faz com que recebamos um outro espírito e não o Espírito Santo.

d) Nem sequer leiamos os seus materiais que muitas vezes aparentam ser bons e no entanto seduzem-nos e enganam-nos, assim como Satanás enganou Eva.

5. Orgulho, arrogância e egoísmo.

Lê Tiago 3:14-16.

a) Se tornarmos egoistas ou arrogantes na nossa sabedoria terrena expomo-nos à inspiração diabólica.

b) Os espíritos malignos que então entrarem em nossas vidas guiam-nos à confusão, desarmonia, rebelião e prácticas inúteis.

c) É interessante notar que conflitos espirituais sempre seguem a uma expressão de orgulho, isto é, quando a nossa confiança está na nossa própria capacidade em vez de em Deus. Vê Tiago 4:6-10, 1 Pedro 5:5-9, Exodo 20:25.

6. Crises traumáticas e emocionais.

a) Muitas pessoas têm experiências traumáticas na infãncia que permitem nas suas mentes fortalezas demoníacas, p. ex.

1) Estiveram quase a afogar-se - têm muito medo de água.

2) Foram abandonados quando os pais morreram ou se divorciaram – têm grande medo de serem abandonados ou tem espíritos de tristeza.

3) As pessoas às vezes têm traumas fisicos tais como acidentes sérios ou doenças graves (que permitem a entrada de espiritos de medo), etc.

b) Crises emocionais (tais como serem abusadas sexualmente quando crianças)

permitem a entrada de espiritos de homossexualismo, lesbianismo e prostituição.

c) Se a criança é fisica ou mentalmente abusada, então os espíritos de rejeição e

medo do homem entram nela.

7. Rebelião

Lê 1ª Samuel 15:23

a) Rebelião é igual ao pecado de feitiçaria e a obstinação é igual à idolatria.

b) Podemos rebelar-nos de muitas maneiras:

1) Rebelião contra Deus. Isaías 1:20.

2) Contra autoridade humana p.ex. governos. Romanos 13:1-5.

3) Rebelar-se contra os pais. Efésios 6: 1-3.

4) Rebelar-se contra o marido. 1ª Pedro 3: 1-4.

5) Rebelar-se contra a esposa. Efésios 5:24-31.

c) Quando aprendemos a submeter-nos, aprendemos também a andar pela fé porque é preciso ter fé para se submeter. Sem fé é impossível agradar a Deus (Hb.11:6)

d) A rebelião abre a porta para os espíritos imundos entrarem nas nossas vidas.

8. Falta de perdão.

Lê Mateus 18:23-25.

a) Jesus explica-nos a importância do perdão e as consequências de não perdoarmos.

b) Jesus declara que se nós não perdoarmos aos outros o nosso Pai Celestial nos entregará aos atormentadores e aos espíritos malignos.

c) Estes espíritos malignos têm todo o direito legal de Deus para atormentar-nos até que perdoemos àqueles que nos feriram.

d) Estes espíritos malignos atormentam-nos de maneiras muito variadas tanto nos nossos corpos e almas.

9. Crendo em mentira em vez da Palavra de Deus.

Lê João 8:44-47.

a) O diabo faz todo o possível para que acreditemos nas suas mentiras a nosso respeito para que aceitemos dele uma falsa imagem acerca de nós mesmos.

b) O diabo pode usar outra pessoa para te dizer quão inútil, feio, preguiçoso ou outra qualquer coisa, e então tu cometes o grande erro de crer nele.

c) Quando cremos nestas mentiras abrimos a porta aos espíritos imundos porque de certa forma as aceitamos através da mentira do diabo.

d) Em vez disso nós devemos crer no que diz a Palavra de Deus acerca de quem

somos nós em Cristo.

10. Ligações sentimentais e transferência de espiritos.

Lê Provérbios 22:24,25.

a) Deus pôs orientações para a maneira como criamos relacionamentos com os outros e com quem as criamos.

b) Quando transgredimos contra estas leis e temos relacionamentos perversos então damos terrenos legais para que os demónios entrem nas nossas vidas.

c) Ligações sentimentais criam canais espirituais, tanto bons ou maus por ex:

1) O Espírito Santo opera entre o marido e a esposa num casamento santificado por Deus.

2) Num relacionamento não santificado, há lugar para actividade demoníaca pois os demónios podem ser transferidos de uma para outra pessoa.

3) Muitas vezes estas ligações sentimentais erradas podem desenvolver-se entre pessoas do mesmo sexo, assim como homossexuais, como lemos em Romanos 1:26,27 e isto abre a porta para entrada de demónios. Também entre pessoas que practicam sexo fora do casamento.

11. Pecado habitual

a) o muro de Deus à volta do Seu povo.

Lê Job 1:7-12.

1) Deus pôs um muro à volta de Job para protegê-lo das obras do maligno.

2) Satanás está sempre rodeando a terra procurando alguém a quem possa devorar.

3) Ele sabia que não podia tocar na familia ou possessões de Job porque a cerca protectiva de Deus estava à volta dele.

4) Neste caso Job não pecou mas Deus permitiu que o diabo entrasse actravés do muro para provar a fé e confiança de Job.

b) o muro de Deus é removido.

Leia Isaías 5:5-6.

1) Por causa do pecado do Seu povo, Deus remove o muro à sua volta e deixa-os expostos à aflição.

2) O diabo e os seus demónios operam dentro das regras permitidas por Deus.

3) Eles não podem ultrapassar essas regras sem a permissão de Deus, como no caso de Job, ou nós iremos propositadamente contra a vontade revelada de Deus e assim pecaremos.

c) Lugar ao diabo.

Leia Efésios 4:27

1) Não devemos dar lugar ao diabo nem sequer apoio pecando.

2) Este versículo está a dizer-nos que não devemos dar um lugar para o diabo ocupar.

5) Logo que pecamos intencionalmente, p.ex. ficando com raiva de alguém, e não confessamos, arrependemo-nos ou pedimos perdão, então o maligno tem direito a um lugar na nossa vida.

d) Não pratique pecado

Leia 1ª João 5:18

1) O Espírito Santo diz-nos que quando nascemos de novo não continuamos na prática do pecado.

2) Devemos guardar-nos no amor e pureza de Deus para que o maligno não nos possa tocar.

3) Se praticarmos o pecado, então os demónios podem agarrar-se ou prender-se a nós.

e) Temos um novo senhor.

Leia Romanos 6:16

1) Como Cristãos recebemos um novo senhor, Jesus Cristo, e portanto é a Ele a quem devemos servir.

2) Porque Deus nos deu livre arbítrio temos o direito de servir a quem desejamos servir: ou Deus ou ao diabo.

3) As nossas acções mostram claramente se temos escolhido servir o pecado para morte ou obediência para justificação.

4) A obediência assegurará o muro de Deus ao nosso redor, mas o pecado permitirá o maligno entrar mas nossas vidas.

5) Escolhamos servir a Deus com todo o nosso coração, mente, alma e forças e assim manter o maligno fora das nossas vidas.

0 comentários:

Liberdade de Expressão


É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se:
“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença"(inciso IX). Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença". Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da"argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias. Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.